sábado, 24 de março de 2012

GRANDE PROMOÇÃO ANAITES RECORDS.

Saudações venho trazer a todos aqui uma grande novidade: a ANAITES RECORDS esta com uma grande e puta promoção em seus catálogos de CD´R DEMOS, CD´S, LP´S e tudo que você imagina dentro do nosso Underground...Então Acessem e confira as Promoções de Anaites Rec.

BYWAR EM FORTALEZA LANÇADO O SE MAIS NOVO TRAVALHO "ABDUCTION"


segunda-feira, 23 de janeiro de 2012

KRENAK - DECIMATIOR

BREVE SAINDO O NOVO MATÉRIAL DA BANDA KRENAK, DEPOIS DE SUA DEMO LANÇADA, AGORA ESTÃO COM NOVO TRABALHO PELA A FRENTE, PARA QUEM ESTA NA ESPECTATIVA ESPEREM QUE BREVE SAI A DESTRUIÇÃO SONORA, DE KRENAK "DECIMATION" DÊ UMA SACADA NESTE VIDEO E VEJA O NOVO SOM DO KRENAK.


AGRESSIVE

PARA QUEM AINDA NÃO SACOU A CONTA DA AGRESSIVE NO YOUTUBE, DÊEM UMA SACADA AI: http://www.youtube.com/AgressiveMetal

segunda-feira, 19 de dezembro de 2011

BURNING TORMENT



Formada em 2011, na cidade de Fortaleza / CE, o Burning Torment nasce com Luiz Paulo (v), Ednardo (g), Alexandre (b) e David (d). Surpreende fazendo um death/black com uma particularidade diabolicamente apocalíptica, aos moldes de Dissection e Immortal, com riffs marcantes, rápidos e de passagens intensas e melódicas. Estão apresentando a 1° demo “Darkness Reborn”, um disco que apesar de ser promocional, apresenta grande qualidade técnica, músicas e músicos excelentes, de cara, é perceptível o grande potencial contido no Burning Torment, Que deixará escrito em sangue, sua marca no underground nacional.

sexta-feira, 14 de outubro de 2011

ENTREVISTA COM FERNANDO COUNT OLD = OLD THRONE, COUNT OLD, ANTI LIFE, NEBLINA SUICIDA


 


METAL NODESTE 666:  SAUDAÇÕES, QUAIS AS DIFICULDADES DE  ESTÁ EM UMA BANDA SÓ DE UMA PESSOA?

Fernando Count Old: Saudações também nobre irmão!
Muitos acham que ter uma One man band é sinônimo de dificuldade, eu tenho 4 one man band sendo que uma delas, a mais conhecida, mais velha e a que eu mais me foco é o Old Throne e as mais novas que são: Count Old, Anti Life e Neblina Suicida. No começo as coisas eram muito difíceis para mim, pois, tive falta de apoio e falta de verba para por os meus planos em prática com o Old Throne, mas, com muito esforço e sabedoria eu consegui tornar real o Old Throne. Hoje eu não tenho dificuldades para lançar meus materiais e sigo conquistando o respeito dos Reais Guerreiros do Underground Black Metal Brasil a fora.

Tenho sempre um probleminha ali e outro aqui, mas, não é nada que me faça desanimar e me e me mantenho forte em meus planos e ideais dentro do Black Metal e isso sempre é reconhecido pelos apreciadores de minha arte e por isso eu jamais irei ter dificuldades com as minhas bandas, pois, a força dos Guerreiros do Black Metal sempre irá me dar forças para continuar ativo na Real Cena Underground Black Metal.

METAL NODESTE 666: OLD THRONE LANÇOU EM 2007 O ODIO É SO O QUE RESTA, E CANTADA EM PORTUGUES, QUAL A DIFICULDADE DE ESTA REALIZANDO ESTE TRABALHO?

Fernando Count Old: “O ódio é só o que resta” foi a primeira demo do Old Throne, foi gravada toda no improviso e com poucos recursos. Nessa demo eu canto em Português e também em todos os meus outros trabalhos com o Old Throne desde: “O ódio é só o que resta”, “O Black Metal jamais morrerá”, “Eu me arrasto para o meu próprio abismo” e no trabalho mais recente com o EP “A raiz do destino funesto”.
Sempre canto em Português e sempre cantarei, pois, tenho orgulho de ser o que eu sou e jamais irei bancar o ridículo, sendo Brasileiro e cantando em outro idioma onde só o que eu conheço são as típicas propagandas para atrair turismo.

Sou Brasileiro e Brasileiro tem que cantar em Português!

METAL NODESTE 666: COMO FOI O LANÇAMENTO DE “EU ME ARRASTO PARA MEU PRÓPRIO ABISMO”, QUAIS FORAM AS CONDIÇOES?PRECISOU DE ALGUEM PARA LHE-AJUDAR?

Fernando Count Old: O álbum “Eu me arrasto para o meu próprio abismo” inicialmente foi lançado por um selo Costarriquenho chamado “Viceral Vomit Records” conheci esse selo através do Lord Baphometh da banda Nevercrhist.
Saíram por esse selo: 150 CDr e 150 Tapes onde eu teria direito a 30 capas dos CDs e 30 capas das Tapes porém, como no Brasil as Tapes são vistas pela massa ignorante como um atraso nos lançamentos das bandas de Black Metal. EU preferi fazer um acordo com o dono do selo e combinamos que ele me enviaria 50 capas de CDs e ele poderia ficar com todas as capas das tapes, mas, o cara me passou 39 capas de CDs com uma qualidade de impressão horrível, digna de um cd pirata e não lançou o álbum como oficial e sim com um formato de Demo. Eu na época fiquei louco de tanto ódio, rasguei várias capas e decidi não vender as cópias no Brasil por elas estarem totalmente fora do padrão que eu esperava mas, o pessoal me pediu muito para vender as poucas cópias que sobraram e eu estou vendendo os CDs que sobraram.

O álbum “Eu me arrasto para o meu próprio abismo” foi relançado no formato Tape agora em 2011 pelo selo Português “Satanhades Productions” com cópias limitadas em 300 tapes com uma nova versão do encarte.

METAL NODESTE 666: QUAL É O GRANDE DESAFIO DE ESTAR REALIZANDO ESTE TRABALHO?

Fernando Count Old: O meu desafio e ter que aturar idiotas invejosos que ficam de fofoquinhas tentando denegrir a minha imagem perante os meus irmãos na Cena Underground.

Quero que esse bando de cristãos, porcos, bastardos... se fodam e que fiquem sabendo que quanto mais eles falam merdas de mim mais eu irei evoluir e irei conquistar o respeito dos Reais Guerreiros do Black Metal pois, todos os Reais na cena sabem muito bem que o Black Metal foi feito para lutar contra a ignorância e contra os Dogmas que tentam acorrentar as nossas mentes a um mundo sujo e sem vida digna e não foi feito para intriguinhas e fofoquinhas de bandas ridículas que acham que Black Metal Real é só por uma jaqueta de couro, pintar a cara, fazer cara de mal e dizer foda-se o cristianismo.

Black Metal é a mais pura e verdadeira arte criada pelas mãos de guerreiros nobres por natureza!

METAL NODESTE 666: QUAIS SÃO AS TEMATICAS ABORDADAS EM SUAS LETRAS E COMPOSIÇOES?

Fernando Count Old: No começo no Old Throne se eu me lembro bem, eram abordadas as temáticas: Anti cristianismo, guerra, honra, ódio, anti humanos e depressão mas, com o tempo eu fui dividindo as minhas letras assim:
Old Throne: Anti-Religião, Ateísmo, Ódio, Honra e Guerra.
Anti Life: Anti Cristianismo, ódio, Anti Humanos, Tortura e guerra
Neblina Suicida: Depressão e Suicídio

Não citei o Count Old pelo fato dele até o momento só contar com músicas instrumentais!

METAL NODESTE 666: QUAL FOI O SEU GRANDE OBJETIVO DE ESTAR REALIZANDO ESTE TRABALHO?

Fernando Count Old: Reconhecimento pelo meu esforço e pelas minhas vitórias nesses 4 anos que eu estou colaborando com o Black Metal.

METAL NODESTE 666: OLD THRONE SENDO UM PROJETO ONE MAN BAND, FUTURAMENTE É POSSIVEL DE ENTRAR INTEGRANTES OU NÃO?

Fernando Count Old: Jamais penso e jamais irei pensar em por outros integrantes no Old Throne até porque se entrar outros integrantes no Old Throne ele deixará de ser o Old Throne e será mais uma banda com vários integrantes, com brigas e ideologias diferentes.

Penso sim, no futuro se ocorrer apresentações com o Old Throne eu chamar alguns amigos e eles se apresentarem comigo em alguns eventos mas, membros fixos no Old Throne? Jamais!

METAL NODESTE 666: VOCÊ COMPOE TODAS AS MUSICAS EM PORTUGUES, JÁ SURGIU IDÉIAS DE COMPOR EM INGLÉS?

Fernando Count Old: Não! Não gosto de inglês e até me arrependo “hoje” de ter colocado o nome do Old Throne de Old Throne e não ter colocado de Velho Trono e também em alguns de meus outros projetos que levam nomes em Inglês.

METAL NODESTE 666: EM SEUS ALBUNS QUAIS FORAM AS DIFERENÇAS DE UM AO OUTRO? ALÉM DAS LETRAS?

Fernando Count Old: A sonoridade, a qualidade de gravação e as idéias sendo aprimoradas e melhoradas com o passar dos anos.

METAL NODESTE 666: MUITO OBRIGADO FERNANDO POR ESTE MOMENTO E PARA FINALIZAR DEIXE UM RECADO PARA A GALERA QUE ACOMPANHA A BANDA:

Fernando Count Old: Primeiramente gostaria de lhe agradece pelo espaço oferecido e gostaria de deixar um Hail para todos os meus fiéis amigos espalhados de Norte a Sul pelo Mundo!

HAIL AOS REAIS, FODA-SE OS HIPÓCRITAS E OS CONFORMISTAS!

E LEMBREM-SE SEMPRE “O BLACK METAL JAMAIS MORRERÁ”!!!

ENTREVISTA COM VIOLATOR NO METAL NORDESTE 666


Metal Nordeste 666: Primeiramente conte-nos um pouco da historia da banda:
Pedro Poney: Primeiramente, obrigado pela entrevista e pelo interesse! É um prazer manter contato com pessoas que mantem viva a cultura underground nos diferentes lugares do país. Bem, o Violator começou em 2002, apesar de nós tocarmos juntos em uma outra banda desde o início de 1999. Nós éramos amigos do colégio e queríamos ter uma banda e produzir metal de um jeito raivoso, visceral e honesto que a gente não encontrava por aqui. Essa época era o auge do new metal e do metal melódico, vocês devem se lembrar, e a gente tava interessado em tocar alguma coisa que fosse radicalmente distinta desses estilos. Em velhos sebos da cidade, acabamos encontrando discos antigos do Kreator, Assassin, Whiplash, etc. e foi como uma descoberta pessoal também. Começamos a fazer thrash e nunca mais paramos. Desde então a banda lançou uma porrada de material, viajou por boa parte do mundo, mas essencialmente continua sendo quatro amigos que gostam de estar juntos e fazer barulho juntos.

Metal Nordeste 666: Como que é levar o grupo sem mudar seus componentes? Hoje em dia vermos muitas bandas que troca de guitarra, batera e mas, como está sendo essa caminhada?
Pedro Poney: Isso nunca foi problema pra gente porque, como eu disse antes sempre fomos amigos antes de ser uma banda. E a gente leva isso até hoje, nossa amizade e parceria são muito mais importantes do que o Violator. Eu sei que nem todas as bandas levam as coisas dessa forma, mas é assim que gostamos de produzir. Geralmente, temos uma relação de amizade com os produtores dos shows, os selos, os zineiros e todo mundo que frequenta e faz parte do underground como a gente.

Metal Nordeste 666: Como é que foi a grande expectativa de estar em fortaleza novamente? Como vocês veem nosso underground fortalezense?
Pedro Poney: Esse último show em Fortaleza acho que foi o mais legal de todos que já fizemos aí. A energia e a insanidade do pessoal ali foi inacreditáveis. Sempre nos sentimos em casa aí em Fortaleza, muito pelo fato de nossas famílias serem daí do Ceará. Fortaleza é quase como uma segunda casa. Eu acho a cena de Fortaleza incrível, nos estilos mais diversos. Algumas bandas daí que são minhas favoritas são: Diagnose, Facada, Blasfemador, Scatologic Madness Possession, Warbiff, Vingança, Feculent Goretomb, Skate Pirata, Betrayal e muitas outras. A cena daí é muito produtiva e sempre muito movimentada, isso é muito bacana. Acho que as pessoas do Nordeste em geral deveriam valorizar mais a produção local e não apenas idealizar as coisas no Sudeste do país, até porque as coisas por lá são muitas vezes mais sem-graça do que aí.

Metal Nordeste 666: Em 2002 a banda gravou sua demo ao vivo intitulada de Killer Instinct, qual a expectativa de ter lançado essa demo?

Pedro Poney: A Killer Instinct foi nosso primeiro material, eu tinha 16 anos na época da gravação. Eu considero as músicas bem fraquinhas (risos) mas acho que vale pela intenção. Nós éramos 4 moleques no meio do país que não conheciam ninguém que estivesse sequer falando em 'Thrash Metal' e mesmo assim era isso que a gente queria fazer. Naquela época a gente ensaiava todos os sábados, o dia inteiro, mesmo sem nenhum show marcado, apenas pela diversão de fazer barulho junto. Era bem legal.


Metal Nordeste 666: Em 2004 vocês lançaram o “Violent Mosh” quais foram a grande dificuldade para esta gravando esse trabalho? Demorou muito?

Pedro Poney: A principio o Violent Mosh seria uma segunda demo, queríamos aproveitar que já estávamos com o nosso som bem mais coeso e formatado, tínhamos dado largos passos em direção a uma agressividade thrash maior. Só que aí surgiu a oportunidade de lançar pela Kill Again, selo que na época estava começando, mas é guiada pelo nosso amigo Rolldão, que faz zine e está envolvido com metal underground desde o comecinho dos anos 80. Nesse EP foi a primeira vez que fizemos uma gravação mais profissional e aprendemos muito com ela, sou bastante satisfeito com o resultado, ainda mais quando lembro que éramos apenas moleques de 18 anos na época.

Metal Nordeste 666: Quais foram as grandes temáticas para estar fazendo Chemical Assault, pois é o cd, mas agressivo da banda?

Pedro Poney: Eu ainda acho que o novo material "Annihilation Process" mais agressivo. Mas bem, o Chemical Assault fala muito sobre destruição do planeta, guerras e morte. Acho que eu tava ouvindo muito Discharge na hora de escrever as letras (risos). De qualquer maneira, sobre a agressividade do som, nossa ideia sempre foi a cada lançamento, desde a primeira demo, dar um passo adiante na intensidade e na violência sonora. A gente não quer tirar o pé do acelerador de jeito nenhum.


Pedro Poney: Eu acho o Violent Mosh um pouco mais ingênuo que o Chemical. Mas acho que é uma coisa natural do nosso amadurecimento como compositor, né? Se você pegar o EP vai ver um monte de base que se repete, riffs mais simples e menos velocidade. No CD, a gente já quis radicalizar tudo isso, espero que tenhamos conseguido.

Metal Nordeste 666: O que a banda pensa para os seus projetos futuros?

Pedro Poney: Bem, no final do ano ainda temos uma série de shows marcados pelo Brasil e devemos voltar ao Chile. Começo do ano que vem é se preparar para mais uma turnê europeia e a gravação do disco novo que deve acontecer na Alemanha.

Metal Nordeste 666: Desde já agradeço ao Violator por ter aceitado o nosso convite para este momento, para finalizar desde um recado para os Thrashero:

Pedro Poney: Eu que agradeço! Um abraço a todo mundo que acompanha e apoia o Violator e que assim como nós, respira esse submundo! UFT!
Metal Nordeste 666: “Depois do Violent Mosh vem o Chemical Assault” quais foram a diferencia entre um para o outro?

NECROFILIA

NECROFILIA é uma banda formada em Planaltina – Go (brasilinha) com o intuito de tocar um Speed/Thrash Metal calcado na velha escola, Influências por Warrant (Speed Metal), Slayer, Exodus Iro Angel, Kreator e também com bandas da atualidade como Selvageria, Comando Nuclear, Farscape, Blackskull, Bywar, Blasfemador.

Formação:

Wesley Bokão – Drum´s
Jean – Vocal/Bass
Jackson – Guitar


Em breve demo Intitulada: Forças do Mal
Por enquanto Promo: Forças Obscuras

CARRASCO

De Rio Negrinho/SC, Formada em maio/2009 o trio trás toda insanidade do bom e velho Death Metal, tendo como influências: Master, Possessed, Sarcófago, Sepultura(old), Cancer, Benediction, Morbid Angel, Cannibal Corpse e etc...
Tendo uma demo já lançada intitulada “The Beginning of the Madness...”
e assim vai conquistando o seu espaço na tão disputada cena underground da região.
Formação:Fábio Kobus: Guitarra/Vocal
Fábio Bertoldi: Baixo
Igor Thomaz: Bateria

CONHEÇA MAIS A BANDA:

ENTREVISTA COM AGRESSIVE

Metal Nordeste 666: É com grande satisfação esta fazendo essa entrevista com vocês, para da o inicio de tudo, conte-nos um pouco sobre como a banda começou?

Agressive: Começamos em 2009 tínhamos entre 15 e 16 anos, estávamos de saco cheio porque nossa geração estava toda indo para a música Emocore, nunca gostamos dessa estética, escutávamos Slayer,Exodus, Kreator. Então resolvemos formar uma banda agressiva e veloz em contestação à estética do emocore, que estava muito evidente, então fomos buscar na velha escola do Thrash Metal, resgatar toda a fúria juvenil, com isso boa parte da galera nova que procurava essas referencias passou a nos apoiar e também a galera da velha guarda, conseguimos gravar nosso cd demo nesse mesmo ano já com 4 músicas autorais. Com o tempo passou a surgir convites para tocar em Festivais.
Metal Nordeste 666: Quais são as grandes temáticas abordadas em suas letras?

Agressive: Nossa Temática aborda vários temas desde, o repúdio a religião até curtições Thrash.Gostamos de dar uma variada na temática pra não ficar tão repetitivo.
Metal Nordeste 666: Quais foram as dificuldade de esta trabalhando em formação da demo Death and Chaos?

Agressive: Cara. na gravação da nossa demo a maior dificuldade foi o lance financeiro, porque na época ninguém trabalhava e foi dureza arranjar dinheiro pra gravação, e por esse mesmo motivo que a demo só foi lançada um ano depois.
Metal Nordeste 666: Eu estava escutando a demo da Agressive e mim chamou muita atenção a musica United For Beer, como foi trabalhado esta musica?

Agressive: Essa musica ela foi inspirada nas curtições Thrash nas bebedeiras em festivais. Na verdade nem tivemos tanto trabalho porque já tínhamos uns riffs feito e juntamos tudo e resolvemos colocar ela na demo de última hora, e acabou ficando bem legal.
Metal Nordeste 666: Quando vocês pretendem lança um novo cd?

Agressive: Nós estamos vendo ai de lançar algo novo próximo ano. Já estamos trabalhando em composições novas pra gravar ai no final do ano e lançar um material novo pra galera.
Esse ano de 2011 foi muito importante pra banda em termos de shows, conseguimos tocar em vários locais da cidade sempre com um público fiel, conquistamos nossos objetivos esse ano em termo de show, a custa de muito esforço. Paralelamente aos show estamos compondo muito provavelmente o ano de 2012 promete, tanto em show como lançarmos um material novo.
Metal Nordeste 666: Através dos festivais acontecidos aqui em Fortaleza, já ocorreu de ser chamado para tocar fora de Fortaleza?

Agressive: Cara estamos conseguindo fazer uma agenda de show legal, desde de junho conseguimos fechar aqui em Fortaleza shows praticamente todo mês, tocamos ao lado de bandas veteranas como Darkside, Gs truds, tocamos no Sítios Festival, Arquivo Underground Festival, Rising Metal na Praia de Iracema.Graças ao reconhecimento por esses Festivais, fomos convidado a tocar na Mostra Rock Cordel em outubro, e apesar de tocarmos numa quarta feira as 14 horas, batemos o recorde de público desse dia segundo a produção do Festival. O que gerou uma visibilidade, alguns produtores entraram em contato com a gente, estamos afinando essas propostas.

Metal Nordeste 666: Como vocês ver a cena Underground de Fortaleza? Esta gostando do publico?

Agressive: Cara a cena underground aqui em Fortaleza ta muito forte, tocamos tanto em festivais independentes na periferia da cidade, que sempre dar um público legal, como falei anteriormente tocamos no Rock Cordel que é um evento institucional financiado pelo BNB, ou seja até o poder público tem reconhecido o metal como cultura e o público tem respondido legal. Ainda temos muito a conquistar aqui em termo de espaço, mas já caminhamos bastante. A cena do metal autoral está muito forte. O publico sempre agita nas nossas apresentações ninguém fica parado e isso é bom.
Metal Nordeste 666: Como vocês se senti quando a galera esta batendo cabeça enquanto vocês tocam?

Agressive: Eu me sinto com um sentimento de dever cumprido, realmente era essa essência que nos motivou a começar a banda, queríamos resgatar toda essa energia mesmo da galera da nossa idade, no começo foi meio que remando contra maré, o Emocore tava em total evidencia, depois vimos que muitos caras da nossa idade estavam também buscando referencias mais agressivas essas pessoas foram nos seguindo, com um tempo a moçada mais velha foi nos respeitando por que viram que estávamos mantendo essa tradição .
Metal Nordeste 666: Deste já, agradeço a vocês por ter aceitado, deixe a ultima palavras de vocês para os Headbanger´s:

Agressive: Quero agradecer todas as conquistas da banda, isso foi graças aos verdadeiros headbangers, tenho orgulho de dizer que nunca nos deixaram na mão, estando presente em todos os festivais undergrounds na cidade.
Thrash till Death!

quarta-feira, 5 de outubro de 2011

BEHEMOTH NOVO VIDEO CLIP

No dia 04/10/2011 foi lançando o novo Vídeo Oficial do Behemoth “Lúcifer” veja a baixo:

UNEARTHLY BREVE LANÇAMENTO POR SHINIGAMI RECORDS

UNEARTHLY – Shinigami Records continua somando talentos ao seu cast nacional e agora é a vez dos Cariocas do UNEARTHLY com o seu Black /Death Metal destruidor.
Flagellum Dei, o sexto álbum da banda oriunda de Rio de Janeiro, foi gravado no mês de junho no Hertz Studio ( Polonia ) e produziado por Wojtek e Slawek Wieslawsky, que já trabalharam com renomadas banda como Behemoth, Hate, Decapitated e Vader, entre outras do Metal Extremo.
Segundo a banda, este trabalho é “o melhor trabalho da carreira do grupo... A produção e o processo criativo superam tudo que já fizemos até hoje” com 11 canções inéditas, Flagellum Dei conta coma participação especial do Vocalista Steve Tucker – Ex - Morbid Angel e atual Nader Sadek na musica “Osmotic Haeresis”
UNEARTHLY é formada por Eregion ( Guitarra e Vocal ), M. Mictian ( Baixo ), Vinnie Tyr ( Guittara Solo ) e Rafael Lobato ( Bateria ), sobre o lançamento de “Flagellum Dei” através da Shinigami Records, o baixista M. Mictian comentou: “ Estamos felizes e ao mesmo tempo muito ansiosos para este lançamento, a Shinigami [Records] representa um nome de alto valor no mercado nacional fonográfico e temos a honra de esta fazendo parte do cast da gravadora”
Para mais informações sobre este lançamento e outros da Shinigami Records acessem: http://www.shinigamirecords.com.br/2010/index.php

sexta-feira, 30 de setembro de 2011

Viollen

A banda surgiu em 2006, influenciada pelo Thrash Metal alemão, crossover e uma pitada de hardcore. Violent sing era a primeira proposta para o nome da banda, ate que foi decidido ser chamada apenas de “VIOLLEN”, Idemar assumia o baixo e o backvocal, Romário na bateria e Marcelo nos vocais e na guitarra. Essa foi a primeira formação e teve duração de 2 anos com um cd demo gravado. Em 2008 a banda se separa devido a motivos pessoais (trabalho, estudo, etc). Marcelo tocava na banda de heavy metal “Metal Warriors” junto com Idemar, e no final de 2009 decidiu reativar a Viollen e convidou Cesar, da mesma banda, para a bateria e Edin para o vocal, que também fazia parte da Metal Warriors. Depois de alguns meses Idemar sai da banda e Edin assume o baixo e vocal, assim Viollen volta a ser um trio. Hoje com novas musicas autorais e também tocando as primeiras faixas da antiga formação, estão se preparando para mais uma gravação. Com musicas mais pesadas, agressivas e letras bastante acidas, típico do puro thrash metal.
Formação atual:
Marcelo - Guitarra
Cesar – Bateria
Edin – Vocal e Baixo

Animus Difamandi

Animus Difamandi é um projeto One man band fundado em novembro de 2009 por Lord Cepheus (todos instrumentos e vocal) na cidade de Tanabi/SP, Brasil. O projeto foi criado com a intenção de resgatar a verdadeira essência do Black Metal como nos anos 90, tendo influências de bandas como: Darkthrone, Judas Iscariot, Gorgoroth, Nargaroth, Beherit, etc....E temas que abordam: Anti-Cristianismo, Satanismo e Ocultismo...

Myspace:
Comunidade do Orkut:
Download:
Contatos
animusdifamandi666@hotmail.com
lordcepheus@hotmail.com

terça-feira, 27 de setembro de 2011

CARNAGE

Carnage é uma horda de Rio grande da serra, região do abc paulista – São Paulo. Formada no ano de 2010 por War Infernum (sangue negro, sacrificial terror) e Holocaust Bloodthirsty (ex -absyde). Após alguns ensaios surge a primeira musica CARNAGE OF WAR,e com a entrada de Demoniun (ex - nefastum) e saylar evil(ex - morturoum) a horda grava a primeira demo intitulada"Antichrist declaration"Após a demo, tem a entrada de Black R Blood na horda, e segue com o primeiro show na cidade de maua-SP. Após esse show o vocalista Demoniun deixa a horda, e assim o guitarrista War Infernum assume o vocal. Com a formação fixa de War Infernum, Black Blood, Saylar Evil e Holocaust Bloodthirsty, o Carnage participa do Scream of agony fest, Com as hordas, Esgaroth, Carnifraz, Amazarak e Blasphemical Procreation. Após esse evento o Carnage da um pausa para a gravação de um novo material em estúdio, Terá 5 musicas de pura destruição e ódio,o EP será intitulado de "Infernal Hail"e se encontra em processo de gravação!!!!Em breve a horda terá mais datas para show ao lado de Kaziklu bey, Amazarak, Mortal Hate, Agouro, justabelli e mais alguns!!!!A destruição é apenas o começo para uma nova era!INFERNAL HAIL.



segunda-feira, 26 de setembro de 2011

QUER DIVULGA SUA BANDA?

Quer divulga sua banda na Cena Nordestina? Então envie:
Nome da banda:
Release:
MySpace:
2 Imagens:
Link de Download( se estiver ):

obs:
as 2 imagens tem quer se uma da logo e outra da galera da banda, as bandas a ser divulgadas não são obrigadas a ser do NORDESTE, também não é obrigado até LINK DE DOWNLOAD e não divulgaremos WHITE MERDAS.

Então envie por E-mail:
metalnordeste666@hotmail.com ou deixe um recado nesse Orkut: http://www.orkut.com.br/Main#Profile?rl=mp&uid=6761382819011173309

LEI DO KAOZ


Banda formada em dezembro de 2010 em Abreu e Lima ( PE ), depois de uma bebedeira entre amigos, que tem muitas influências de Punk ao Metal Extremo, com grande intuição de fazer um Crossover, HardCore, Thrash Metal. Um verdadeiro liquidificador musical! E tiveram algumas mudanças no nome e formação da banda até chegarmos a atual L.D.K = Sangue na Corrente Alcoolica!!!





Contatos:

segunda-feira, 19 de setembro de 2011

NILE LANÇARÁ ÁLBUM COM GRAVAÇÕES DA PRIMEIRA FORMAÇÃO

A banda de Death Metal NILE lançará um novo álbum, "Worship The Animal - 1994 The Lost Recordings", este na realidade terá músicas inéditas da época do clássico "Amongst The Catacombs Of Nephren-Ka" com a formação original que era Karl Sanders (guitar/vocals), Chief Spires (bass/vocals), and Pete Hammoura (drums). Este material será lançado em uma edição de colecionador em digipack no dia 11 de outbro via Goomba Music. O tracklist deste novo álbum: 01 - La Chant Du Cygre; 02 - Worship The Animal; 03 - Nepenthe; 04 - Surrounded By Fright; 05 - Mecca.

quinta-feira, 15 de setembro de 2011

ARQUIVO UNDERGROUND

O Arquivo Underground Convoca os Bangers de todos os bairros de Fortaleza a se fazerem presente nessa celebração do nosso Underground. Domingo 18 de Setembro com CARCARÁ, BETRAYAL, AGRESSIVE E GSTRUDS. Informações:
Ingresso + Camisa = 10,00 ( METAL FATALITY - 2 ANDAR - GALERIA PEDRO JORGE )
Ingresso = 5 Reias

Videos Chamadas:


WARRIORS OF SATAN - ODES À BAPHOMET

BREVEMENTE O LANÇAMENTO DA DEMO DA HORDA WARRIORS OF SATAN - ODES À BAPHOMET

Músicas
  
01 - Prologue
02 - Cultuadores de Baphomet
03 - Odes a Baphomet
04 - Ira de Satã sobre os fracos
05 - Epilogue